Bright Concept
PT EN
INÍCIO /

Blog

/

Assessments

/ Assessment do Pensamento Estratégico

Assessment do Pensamento Estratégico

EM: Assessments .14 JUNHO, 2019
Assessment do Pensamento Estratégico

O tema do Pensamento Estratégico tem para nós um interesse especial pois sabemos que é aqui que reside a principal função de um líder de topo - pensar de uma forma abrangente, sistémica, ter a visão do  futuro e preocupar-se com os factos relevantes ligados ao seu negócio.   

Temos muitos clientes  que nos pedem para os ajudar a pensar no futuro das suas empresas ou dos seus departamentos. Alguns querem mudar a estratégia da Organização devido às mudanças no contexto e querem ter alguém para os ajudar a pensar nas várias variáveis e em decidir qual será o melhor caminho. Outros querem conseguir dedicar-se à estratégia da Empresa ou do departamento e libertarem-se das questões operacionais que lhes ocupam a maior parte do tempo. Sabem que têm de deixar de ser bombeiros e querem mudar mas têm muita dificuldade em o conseguir fazer. Ainda há outros que querem encontrar soluções para problemas complexos que requerem pensamento out of the box e têm dificuldade em fazê-lo. 

Para além disso, no Brasil uma grande empresa multinacional pediu-nos para fazermos o assessment do pensamento estratégico e de competências dos seus Diretores e Managers de forma a ter o pipe-line de liderança. Para isso certificamo-nos no processo de avaliação do pensamento estratégico, o CNE - Complexity Navigation Evaluation, o que nos preparou para trabalhar melhor nesta área.

 

Como fazemos o Assessment de pensamento Estratégico?

 

Utilizamos o processo CNE –  Complexity Navigation Evaluation que foi desenvolvido para avaliar a capacidade dos indivíduos de aplicar o julgamento num ambiente complexo. O CNE é composto por um diálogo acerca do passado e da direção da carreira no futuro, um exercício de Navegação na Complexidade e uma discussão em profundidade de como o indivíduo gosta de pensar acerca do seu trabalho. Este processo distingue o nível em que a pessoa está no pensamento estratégico que vai desde o conseguir resolver problemas estratégicos complexos ao nível operacional.

 

O que é que as organizações ganham com este Assessment?

 

A partir dos resultados dos vários colaboradores com funções de chefia, criamos uma pool de talento, ou seja, um mapa que permita a organização ver o potencial humano e os padrões de crescimento das capacidades ao longo do tempo. Isto permite que a organização possa atuar de maneira planeada com seus recursos humanos: desde a seleção planeada, a sucessão, a descoberta de talentos para funções de inovação, carreiras internacionais, etc. Com estes assessments permitimos às organizações que tenham a certeza de que em cada nível hierárquico têm pessoas mentalmente equipadas para fazer o seu trabalho. É claro que para ser líder são necessárias mais competências do que ter pensamento estratégico e por isso fazemos também o assessment de outras competências tais como as da sua inteligência emocional e também a sua motivação. Se estas condições estiverem reunidas, os subordinados sentirão que o seu chefe ”sabe o que está a fazer”, e o chefe, ele próprio, sentir-se-á confortável para definir o contexto para as pessoas no nível abaixo na hierarquia. As organizações que já se reestruturaram de forma a terem os níveis hierárquicos estritamente necessários e com as pessoas com o nível de pensamento estratégico certo para os níveis que ocupam obtiveram resultados quase mágicos. Com efeito, tiveram saltos quânticos na produtividade e nos lucros e os colaboradores ficaram mais satisfeitos e mais dedicados.

E os colaboradores? O que ganham com este assessment?

 

Para as pessoas os resultados são muito importantes para se posicionarem e para se conhecerem melhor. Permite fazer o alinhamento entre a sua capacidade e a complexidade do trabalho. Uma das maiores fontes de stress é o desalinhamento entre capacidade que o colaborador tem e desafio do trabalho. Normalmente, são tomadas decisões de qualidade quando estes dois componentes estão alinhados. Quando as pessoas estão 'fora de fluxo' (capacidade e complexidade não integradas), existem perdas para a empresa - decisões impróprias, desperdícios, adiamentos – e para a pessoa - ansiedade, frustração ou apatia e somatização.

Os colaboradores beneficiam ainda de informação muito relevante para a condução da própria carreira, pois permite antecipar as fases de transição. Ao longo do tempo o potencial revela-se e passa de um nível para outro de complexidade. Cada mudança no nível de complexidade faz com que a visão de mundo se modifique, se transforme, e se procurem outros desafios. Permite ainda promover o  auto conhecimento e saber reconhecer os próprios limites.

 

E consegue-se desenvolver o pensamento estratégico?

 

Sim, mas tem de ser um trabalho profundo e leva algum tempo. Fazemo-lo em grupo em workshops ou individualmente através do coaching. Em ambos os formatos usamos muito questões que os levem a raciocinar de forma sistémica, isto é, vejam os pontos de interação entre factos, culturas e realidades diferentes na relação entre a empresa e o mercado. Ajudamos a que tenham a mente aberta, a que alarguem os horizontes e tenham uma visão a médio e longo prazo. Para isso promovemos o raciocínio e a criação de novas associações de ideias. A liderança vem de saber refletir sobre um tema e procurar informações que permitam ampliar as associações de ideias sobre esse tema, e não em ter respostas prontas. Fazemos-lhes questões para que interpretem cenários, conjuguem recursos, identifiquem o ponto nevrálgico de cada questão. Promovemos o espírito crítico e o encontrar de novas oportunidades a partir da observação das tendências de mudança decorrentes das inovações tecnológicas. Desta forma contribuímos para que saiam de uma perspectiva tática e passem a uma perspectiva estratégica. Pedimos para que nos seus interesses, tais como cinema e livros, descubram exemplos de pensamento estratégico e os explorem e retirem aprendizagens para os seus negócios. Promovemos também o auto-conhecimento do seu nível de pensamento estratégico e qual o seu estilo preferido de conceber as estratégias. Ajudamos ainda a que treinem a criatividade e o pensamento out of the box.

 

São intervenções realmente transformacionais que permitem os líderes subirem o seu nível.

 

Isabel Freire de Andrade | Partner da Bright Concept