Bright Concept
PT EN
INÍCIO /

Blog

/

Mudança de Cultura

/ Why Millennials are changing the World - A Two Way Challenge

Why Millennials are changing the World - A Two Way Challenge

EM: Mudança de Cultura.11 SETEMBRO, 2018
Why Millennials are changing the World - A Two Way Challenge

Os Millennials serão em 2019 a geração predominante e estão já a promover uma mudança significativa nas empresas, na economia e na sociedade. Se por um lado influenciam através da forma como compram ou vendem – o que obriga as empresas a redefinir a sua estratégia – por outro, usam a tecnologia em todos os aspetos das suas vidas, exigindo maior rapidez e flexibilidade por forma a responder às suas exigências.

 

"Caso não exista nas empresas a capacidade e o nível de compromisso para entender a especificidade dos millennials, [...], estará comprometida a sua capacidade de resposta às diversas necessidades, traduzindo-se num skill gap".

 

Marinela Cunha Rolo | Director Business Development

 

Estando grande parte dos millennials a ingressar no mercado de trabalho, ou sendo já membros ativos neste mercado, verificamos que a maioria das empresas não foram capazes de antecipar os novos desafios, não estando hoje preparadas para os cativar, integrar, desenvolver e garantir que se mantém “engaged”. E os primeiros millennials, hoje com mais de 30 anos, já estão a chegar ao topo e a assumir lugares de liderança, promovendo mudanças significativas ao nível do ecossistema das empresas.

 

Quais são então os maiores desafios que se apresentam?

 

Esta geração é a que tem mais formação, a que procura estar mais envolvida nas decisões, a que quer assumir rapidamente funções de liderança, pretende maior flexibilidade e maior liberdade para aprender e para se desenvolver, uma geração que quer fazer as suas próprias escolhas. E sobretudo, uma geração que não está disposta a esperar. Sendo muito confiante e aberta à mudança, quer contribuir de forma positiva para os resultados e assegurar benefícios associados ao seu desenvolvimento, procurando agilidade na reação à mudança. Por estes motivos, as empresas têm que encontrar uma outra forma de lidar com os millennials, mais adequada e orientada a este “target” e, por consequência, também mais eficaz no sentido de ir de encontro à forma como esta geração pretende estar na Vida e envolver-se na Sociedade.

 

Sendo os millennials uma geração com vários tipos de interesses, por vezes mesmo contraditórios ou temporários, apresentam-se hoje como um verdadeiro Marketing Enigma. Mais do que qualquer outra geração, esta quer ser autêntica na forma de se afirmar do ponto de vista pessoal e/ou profissional … em linha com o que Oscar Wilde dizia: “Temos que ser autênticos pois, ser outros, é um lugar que já está ocupado”!

 

De entre os principais desafios, o primeiro começa no recrutamento, através da forma como as empresas conseguem cativar e garantir a criação de experiências positivas no trabalho. Este desafio permanece nas fases de pré-integração e na futura gestão das suas carreiras, assumindo que deveremos ser capazes de ajudar os millennials a terem ownership relativamente ao seu futuro, assegurando elevados níveis de satisfação e lealdade.

 

Os millennials passaram ainda de colaboradores a empreendedores e líderes, obrigando as empresas a repensar os seus modelos de gestão e de retenção de talentos. Afinal, os benefícios emocionais são muito valorizados por esta geração. Como desafios complementares, as empresas estão a desenvolver programas de formação sólidos e diversificados, a apostar no coaching e no mentoring e a implementar uma cultura de pragmatismo, com a flexibilidade necessária para incorporarem os objetivos individuais de cada colaborador.

 

A adaptação passa igualmente pela criação de “Engaging Experiences” que funcionem e que representem “ … a two way Challenge”, tendo em conta as atuais estruturas multi-geracionais. Estamos perante uma clara transformação cultural, em que cada um tem um papel catalisador neste processo, de acordo com a sua visão, competências, experiência e expectativas de vida, reconhecendo que as múltiplas gerações são orientadas por diferentes objetivos e aspirações. Não se trata de mudar os millennials, mas de trabalhar no desenvolvimento dos atuais líderes, para que eles próprios sejam criativos na construção de uma relação que funciona nos dois sentidos. E é nestas diferenças geracionais que se encontram as respostas, uma vez que não podemos pensar em resolver as questões atuais usando a mesma forma de pensamento que esteve na base da sua criação.

 

Caso não exista nas empresas a capacidade e o nível de compromisso para entender a especificidade dos millennials, bem como a de cada uma das cinco diferentes gerações que hoje colaboram no mesmo mercado de trabalho, estará comprometida a sua capacidade de resposta às diversas necessidades, traduzindo-se num skill gap.

 

Este aspeto dificultará o alinhamento com o mindset dos millennials, fazendo com que não sejamos capazes de retirar todo o seu potencial … sendo que este em parte ainda está por desvendar.

 

E, sabendo que os millennials, ou trabalham consigo … ou trabalham para outros e que conseguem tudo na hora, menos a satisfação profissional … perguntamos:

 

Você já abraçou um millennial hoje? Eles estão à espera!

 

Marinela Cunha Rolo | Director Business Development